SSL e o posicionamento no Google

Postado em: 20 de agosto de 2014 - Por: Suéllem Nascimento

SSL-SEO-posicionamento-Google
Se você achava que as coisas estavam muito fáceis pra quem trabalha com SEO, hoje a gente tem uma notícia que vai fazer você mudar de ideia. No início deste mês, o Google apresentou um novo critério de relevância para o seu mecanismo de busca: o Certificado SSL (Secure Socket Layer). O SLL é um certificado de segurança muito usado hoje em sites que precisam criptografar suas informações, como páginas de bancos. A criptografia protege os dados dos usuários contra possíveis fraudes e garante uma navegação segura. “E por que o Google está interessado nisso?”, você pode estar se perguntando agora. Bem, quanto maior a segurança, maior o tráfego. As pessoas perdem o medo de serem hackeadas a qualquer momento e podem ter uma experiência melhor com os sites e produtos – do próprio Google, inclusive. A ideia geral é criar uma internet mais segura para todos.

 

O que muda no jogo?

Por enquanto o impacto será pequeno, em mais ou menos 1% de todas as queries. Mesmo assim, o discurso é de incentivo ao uso do SSL. Aparentemente, os testes feitos por eles nos últimos meses comprovaram uma melhora significativa nos resultados de busca, mas a implementação massiva, como tudo relacionado ao Google, deve demorar um pouco.

Mas eu preciso me preocupar com SSL agora?

A resposta para essa pergunta é: depende. Em SEO não há uma verdade absoluta ou algo que se aplique a 100% dos casos. A avaliação precisa ser cuidadosa e, principalmente, você precisa se sentir seguro com a mudança que vai implementar. Saber o que está fazendo nessas horas faz toda a diferença. Qualquer erro pode gerar algo bem mais complicado de ser consertado. E todo mundo sabe que o Google é um pouco temperamental com erros.

Eu quero fazer agora. Me ajuda?

Claro, estamos aqui para isso! A primeira coisa que você precisa é conseguir o Certificado SSL e implementá-lo. Depois disso, você vai ficar com duas versões do mesmo site: o HTTP e o HTTPS. Para a indexação não ficar uma bagunça, é só fazer um Redirect 301 do seu site HTTP para a versão HTTPS. Para o usuário não vai mudar nada, porque ele vai ser redirecionado para a versão “certa” sem nem perceber. Mas o Crawler – o robôzinho do Google – vai entender, ficar feliz com a sua proatividade e fazer o trabalho dele direitinho. O mais importante em qualquer mudança é “avisar” ao mecanismo de busca o que você está fazendo para que ele possa ter o comportamento esperado. Como toda mudança gera uma consequência, você pode ter alguns problemas, mas nada que o seu Jedi de SEO não consiga resolver.

Dicas:

ssl-seo-lock

Analise o tipo de Certificado SSL que você precisa

Ex: multi-domínio ou domínio único?

ssl-seo-robot

Não use robots.txt para bloquear seu site

Deixe o Google te encontrar

ssl-seo-noindex

Deixe o maior número possível de páginas livres para indexação

Evite a meta tag noindex

Dica bônus:

ssl-seo-analytics

Configure com carinho o Google Analytics e Google Webmaster Tools

Afinal, você não quer perder o trackeamento do seu site, né?

 
 
 

Você pode ver uma FAQ mais detalhada do próprio Google sobre o HTTPS ou o post oficial do Webmaster Central Blog. Resumidamente é isso. Mais pra frente vamos mapear com mais detalhes o caminho das pedras. Por enquanto vamos aguardar e observar o Google dance. Boa sorte!

Leia também