Redução de custos com investimento na computação em nuvem

Postado em: 17 de agosto de 2016 - Por: Infolink

redução-de-custo-cloud.jpg

A evolução da computação em nuvem criou um novo leque de oportunidades para empresas, especialmente para gestores de TI, que podem contar com uma nova variedade de opções para melhorar a gestão do ambiente e a redução de custos operacionais.

Porém, novas soluções costumam gerar resistência em alguns gestores e usuários, especialmente quando impactam diretamente no modelo de trabalho, tirando as pessoas da zona de conforto. Essa resistência pode dificultar a adoção de novas tecnologias que poderiam trazer uma série de benefícios para o negócio.

Como obter redução de custos com computação em nuvem

Quando se trata de computação em nuvem, além de diversas vantagens técnicas, operacionais e aumento da segurança, são muitos os benefícios financeiros para o negócio ao adotar este tipo de solução. Dentre elas, destacam-se:

Redução dos custos operacionais

Qualquer ambiente de TI local (on premise) necessita de uma infraestrutura preparada para suportar os sistemas e serviços da empresa. Essa infraestrutura demanda custos para se manter operacional, como o consumo de energia elétrica e necessidade de refrigeração constante.

Um data center on premise por exemplo, exige investimento em segurança, e, dependendo da situação, são necessários recursos como salas cofre, controle de acesso e um ambiente anti-incêndio. Todos esses aparatos têm um alto custo de aquisição e demandam manutenções regulares.

Além da preocupação física, é preciso garantir, também, a disponibilidade dos dados contra qualquer tipo de incidente, então, são necessários investimentos em soluções de backup e contingência.

Para manter todos os serviços ativos e disponíveis, são fundamentais atualizações constantes e manutenções preventivas, onerando os custos com equipe interna ou contratação de serviços de terceiros.

Quando uma empresa migra seus serviços para a computação em nuvem, todo o custo operacional, desde a preocupação com segurança até a atualização dos serviços, fica por conta do fornecedor do serviço em cloud.

A empresa pode trabalhar com uma equipe de TI muito mais enxuta, que pode dedicar seu tempo a questões estratégicas do negócio e menos operacionais.

Maior previsibilidade sobre os investimentos em TI

Imagine uma situação em que um dos servidores mais caros da empresa apresenta defeito e a equipe de TI descobre que ele não está mais na garantia. Será necessária a compra imediata de um equipamento de alto custo, que não estava previsto nos investimentos, o que prejudica todo o controle financeiro do negócio.

As soluções de computação em nuvem costumam ser cobradas mensalmente, com valores que podem ser fixos ou de acordo com o volume de serviços utilizados.

Essa forma de pagamento facilita a previsibilidade sobre qualquer investimento em TI. Na verdade, deixam de ser necessários altos investimentos em servidores, storages de armazenamento ou qualquer ativo de alto custo.

Essa previsibilidade sobre os investimentos, eliminando a necessidade de aquisição da maior parte dos equipamentos, faz com que os recursos, que antes eram destinados à infraestrutura de TI, possam ser utilizados para outros investimentos estratégicos do negócio.

Melhoria nos resultados do ROI

O cálculo de ROI, sigla em inglês para Retorno Sobre Investimento, é um importante indicador financeiro para justificar qualquer tipo de investimento, e passa a ser bem atrativo quando se fala em computação em nuvem.

A eliminação da necessidade de altos investimentos iniciais faz com que o retorno sobre os recursos investidos em computação em nuvem seja quase que imediato, enquanto que em uma solução on premise pode demorar anos.

Em alguns casos, o custo atual de uma empresa com seu ambiente on premise pode ser maior do que os valores investidos mensalmente em um ambiente de cloud computing, fazendo com que o retorno seja imediato.

Deve-se lembrar, também, que parte do ambiente de um data center on premise deve ser renovada a cada 3 anos, que é o tempo padrão de garantia da maioria dos fabricantes de servidores, storages e outros ativos.

Neste caso, mesmo que o valor mensal de um ambiente de computação em nuvem ainda fique acima dos gastos on premise, ao considerar a necessidade de renovação e atualização de parte dos ativos, ela acaba oferecendo um retorno sobre investimento muito mais rápido.

Redução do TCO

Outro indicador financeiro muito importante é o TCO, sigla em inglês para Custo Total de Propriedade. Este conceito popularizado pelo Gartner é amplamente utilizado para avaliações de custos e tomada de decisões de investimento em TI.

O TCO leva em consideração todos os custos envolvidos em qualquer investimento, sejam eles diretos ou indiretos. Por exemplo, ao adquirir um novo servidor on premise, além do valor investido na compra do equipamento, para calcular o TCO é preciso avaliar o custo de todos os serviços de instalação, treinamento, suporte técnico, atualizações, espaço físico utilizado pelos ativos, suprimentos necessários para seu funcionamento e até mesmo períodos de downtime (indisponibilidade).

Alguns gestores também consideram outros investimentos indiretos, como o custo para prevenção de paradas e até os prejuízos causados por qualquer indisponibilidade.

Ao migrar seus servidores para uma solução em nuvem, o TCO tende a ser reduzido em até 70%. Isto acontece porque, além de não haver necessidade de aquisição dos principais ativos, a maior parte dos custos envolvidos já são supridos pelo próprio fornecedor de cloud computing.

Dependendo do serviço contratado, a empresa não precisa realizar nenhum tipo de investimento em suporte ou atualizações, ou se preocupar com soluções de backup e contingência, que são de responsabilidade do seu fornecedor.

Considerações finais

A computação em nuvem já deixou de ser uma tendência e se tornou uma realidade no mercado de TI. A migração para estes serviços em empresas que ainda não adotaram cloud computing é uma questão de tempo, pois são claras as vantagens tanto para a equipe de TI quando para o financeiro, tendo em vista a importância dos serviços em nuvem para a redução de custos.

Como vimos, são muitas as vantagens da computação em nuvem, mas antes de adotar estes serviços é preciso tomar cuidado com a escolha do fornecedor, que precisa ter capacidade de suportar todas as demandas do negócio, garantindo a segurança, confiabilidade e disponibilidade dos serviços contratados.

E você, quer saber mais sobre como a computação em nuvem traz benefícios para o negócio? Leia também este artigo: Por que a nuvem híbrida ajuda a driblar a crise econômica?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também