Dia do Blog: 10 dicas de Conteúdo

Postado em: 29 de agosto de 2014 - Por: Suéllem Nascimento

Dia 31 de agosto é o Dia do Blog e pra comemorar criamos uma série para ajudar aos novatos que querem se aventurar pelas águas turbulentas da blogosfera.
O primeiro tema é “Como produzir um bom conteúdo”. Nas próximas postagens também publicaremos dicas técnicas para melhorar a performance de um blog e dicas de design para blogueiros. Fique de olho!

Dia do Blog - 10 Dicas de Conteúdo
Site, e-mail marketing, banner, Facebook, YouTube, aplicativo, senha, comentar, curtir, compartilhar. O mundo está soterrado de conteúdo e dar atenção a todo mundo é cientificamente impossível (de acordo com meus estudos pessoais e a bagunça do meu feed de notícias).

E aí você acorda numa bela manhã de sol pensando ser um bom dia para criar um blog. Pode até ser, mas você precisa fazer algo para se destacar se não quiser ser só uma marolinha nesse mar de informação.

Não existe “caminho das pedras”, mas a gente pode deixar algumas migalhas de pão para ajudar você a achar estrada de tijolos amarelos. Tem alguns pontos que você precisa dar uma atenção com mais carinho. Dá uma olhada na nossa lista:

1. Crie, não copie

Se destacar fica mais fácil quando você tem um conteúdo exclusivo. Replicações e traduções de artigos de outros países até funciona, mas você precisa trazer seu ponto de vista. A cópia pela cópia não vale. Qual é o seu diferencial?

2. Tenha opinião

Pode ser sobre a crise da Síria ou sobre o novo desenho do Cartoon Network, você precisa imprimir personalidade no seu conteúdo. Diga o que você pensa, argumente e abra espaço para os seus leitores debaterem e trocarem ideias com você. Isso mostra maturidade e comprometimento.

3. Ortografia

 Você não precisa ser um grammar-nazi, mas uma preocupação com a ortografia cai muito bem, obrigada. Você pode usar e criar neologismos, mas erros em geral irritam o usuário e vão fazer com que ele nunca mais clique no seu blog.

4. Crie subtítulos

Se você tem um assunto de tamanho médio, fica muito mais fácil dividi-lo em subtópicos. A exposição dos seus argumentos e a linha de raciocínio fica mais clara quando você retalha o conteúdo em pequenas porções. Assuntos complexos precisam ser cortados em pequenos tópicos.

5. Não use texto justificado

Você nasce, cresce, usa texto justificado em toda a sua vida escolar, se reproduz e morre. É o ciclo da vida. Mas vou te contar um segredo: texto justificado para a web é muito, muito ruim. Sabe por quê? Aqueles espaços maiores que ficam entre as palavras atrapalham o cérebro a processar o conteúdo. Toda vez que ele vê um espaço em branco é como se o cérebro entendesse como uma quebra na leitura. E muitas quebras num texto corrente atrapalham a compreensão. Opte pelo alinhamento padrão e poupe a cabecinha dos seus leitores.

6. Rascunhos

Rascunhos são seus amigos. Bem, na verdade você precisa ter mais do que uma amizade. Não é só um caso, um lance, um rolo. Você precisa ter um relacionamento sério com eles. Faça quantos rascunhos precisar até chegar numa versão que agrade e seja fácil de ler.

7. Começo, meio e fim

A melhor forma de estruturar um pensamento é desenvolver uma linha com início, meio e fim. “Ninguém gosta quando está lendo um texto ele não ornitorrinco”. Esse é um dos milhares de exemplos que você precisa tomar cuidado com o ritmo e direcionamento do seu texto. Seja simples, mas diga o que você veio dizer. Informações espalhadas, confusas ou embaralhadas não ajudam você e jogam seu conteúdo no mar sem fim das páginas que não recebem nenhuma atenção.

8. Conteúdo não é só texto

Podcast, vídeo, áudio, música, clip, etc. O mundo de possibilidades para criação de conteúdo não tem limites. Você não precisa ficar preso ao texto. Inclusive, você pode ser muito melhor em outros formatos. Teste, experimente e veja o que funciona com você.

9. Produção

Capriche na produção do seu conteúdo. Crie um texto bacana. Se for um vídeo, faça um roteiro antes. Quer fazer um podcast? Tenha um direcionamento. A pior coisa é ler, ver ou ouvir um conteúdo em que fica claro que a pessoa que produziu se perdeu no meio do caminho. Tenha uma rota e empenhe-se em segui-la.

10. Aprenda com quem sabe

Veja quem são as referências do mercado que você quer entrar. Busque inspiração e profissionais que possam te ajudar a melhorar sua produção. Um dos grandes nomes da escrita na web no Brasil é o Bruno Rodrigues, professor, autor e consultor de webwriting. Ele desenvolveu para o Governo Federal um manual sobre escrita digital e é um excelente material. Vale dar uma conferida.

Bônus

Como profissionalizar seu blog

Agora você está se perguntandoMeu conteúdo é bom, tô me esforçando e eu quero virar um blogueiro profissional. Como eu faço?”.
Tem muito blogueiro ganhando dinheiro por aí, mas isso não é via de regra. Em geral o caminho é continuar produzindo conteúdo e à medida que a sua audiência for crescendo, a possibilidade de ganhar dinheiro aumenta.

A gente conversou com o Armindo Ferreira (do Postei!) que deu algumas dicas bacanas para quem está começando e quer ter um projeto editorial atraente. Eles são uma rede independente de blogueiros do interior de São Paulo que ajuda na profissionalização da categoria. Somando todos os blogueiros, hoje eles têm mais de 1 milhão e 300 mil pageviews/mês e a meta é chegar em 5 milhões até o final do ano.

Explore nichos

Um dos pontos interessantes citados pelo Armindo foi a exploração de nichos.
Por exemplo, blog de moda tem milhares por aí, mas e blog de moda praia? Moda para a terceira idade? Explore as possibilidades e não caia no mais do mesmo.

Tenha um mídia-kit completo

Outro tópico importante é a profissionalização. Ou seja, quando e como uma marca vai atrás de você para fechar uma parceria. “Se o blogueiro quer mesmo ser profissional é importantíssimo ter um bom mídia-kit (onde ele vende o projeto), demonstrando que tem um inventário interessante de possibilidades de ações e também uma proposta editorial atrativa. As marcas têm fugido um pouco dos padrões, buscando um envolvimento maior do blogueiros em seus canais, então ter comunidades que interagem de fato no Facebook, Youtube e Instagram agregam demais ao projeto. E claro, blogueiros que topam participar de eventos, ações promocionais e não se importam em se envolver com as marcas”, explica Armindo.

Busque ter um diferencial

Ser original, ter algo a acrescentar e contar sua história de um jeito diferente também conta muito. É isso que vai fazer você se destacar e ampliar a sua audiência. As ferramentas estão aí para todos, mas a criatividade, aquele diferencial que só você tem, é o que vai fazer a diferença entre ser O cara ou só mais um na multidão. E aí? Quem você quer ser na web?

Leia também