Como fazer para a sua empresa migrar para a nuvem híbrida?

Postado em: 9 de agosto de 2016 - Por: Infolink

computacao-em-nuvem.jpeg

A migração para a nuvem híbrida é uma tendência que tem atraído cada vez mais empresas pela possibilidade de reduzir custos, otimizar recursos, aumentar o desempenho de operações e facilitar o trabalho de equipes que, para funcionar sem desperdícios e com alta disponibilidade, dependem de uma infraestrutura flexível, eficiente e, ao mesmo tempo, segura.

Prova disto é que uma pesquisa do E-business Brasil, com objetivo de trazer informações de negócio para o mercado de TI, mostrou recentemente que mais da metade (56%) das companhias nacionais já aderiram ao uso de cloud.

Os benefícios apontados, segundo este mesmo levantamento, são vários: 46% positivos para aumento de disponibilidade e 20% para foco no que é estratégico, liberando tempo para que os gestores se preocupem menos com o operacional, o que favorece o crescimento do negócio.

Projeções do Gartner apontam que, até 2020, os Data Centers definidos por software serão considerados fundamentais para 75% das 2 mil empresas envolvidas na implantação de modelo híbrido em TI. Além disso, as políticas de “no cloud” serão vistas como extremamente atrasadas, assim como são consideradas as empresas que ainda não aderiram à internet hoje em dia.

Mesmo assim, alguns gestores têm dúvidas sobre a adesão deste modelo ou como fazer a migração sem comprometer aspectos importantes de sua infraestrutura.

Outro receio é de sentir dificuldades no gerenciamento, visto que o próprio Gartner recomenda cautela na transição, já que nem todas as empresas podem se sentir preparadas para o desafio de administrar o novo ambiente.

Com isto em vista, preparamos um guia que irá lhe mostrar como fazer esta migração de uma forma mais segura e com a opção mais adequada para seu negócio, tanto em termos de capacidade e custos quanto de gestão deste novo sistema. Acompanhe.

1- Análise da infraestrutura atual

Para começar, a recomendação é analisar 360º sua infraestrutura atual e identificar quais tipos de aplicações você poderia migrar para nuvem a fim de ter um ambiente mais eficaz, bem como o impacto financeiro positivo dessa migração.

Em geral, a nuvem híbrida costuma proporcionar uma redução de até 30% no custo das empresas, além de permitir uma infraestrutura com ajuste perfeito: você contrata a capacidade de acordo com a necessidade.

Assim, sua empresa dispensa máquinas custosas ou aquisição de licenças caras para soluções que nem sempre seriam usadas em sua totalidade ou por um prazo vantajoso.

Financeiramente, é mais viável contratar recursos adicionais na nuvem do que comprar equipamentos ou fazer investimentos em infraestrutura física, além de esta opção ser infinitamente mais rápida.

“Mas e se eu não puder ou não quiser passar todos os serviços para a nuvem privada?”

Esta é a primeira preocupação que você deve deixar de lado. A vantagem da migração para a nuvem híbrida é que sua empresa não precisa abandonar o ambiente tradicional com o qual conta no momento, caso não esteja pronta para migrar 100%.

Há opções disponíveis, em local e Data Center, e isto tanto traz autonomia para quem gerencia como segurança para quem prefere contratar um serviço integrado.

Para facilitar esta análise inicial e a compreensão das opções, contar com o apoio de especialistas pode ser de grande valia, pois assim você pode levantar adequadamente as necessidades do seu negócio e escolher a estrutura no tamanho certo, podendo escalá-la posteriormente.

Se a realidade de sua empresa for de dificuldade para reduzir custos e garantir uma operação mais escalável, chegou a hora de partir para o próximo passo!

2- Definindo a migração

“Mas como vou saber o que devo hospedar na nuvem híbrida ou não?”

O modelo híbrido funciona como sua porta de entrada para cloud, e, se você não estiver pronto para fazer a mudança, não precisa escolher nesse momento entre a nuvem ou o data center convencional.

Com um fornecedor de confiança, sua empresa poderá delimitar os serviços que serão migrados e como isto ocorrerá. A tranquilidade de uma solução inteligente e flexível advém justamente do fato de que, por exemplo, no caso de um Cloud Server, torna-se possível configurar até mesmo o recebimento de qualquer aplicação ou serviço executado em seu servidor dedicado tradicional.

No momento de implementar a nuvem, então, você pré-determina nas configurações o que vai ser “importado” do seu servidor e o que permanecerá totalmente em nuvem.

Um Data Center híbrido permite total interoperabilidade dos sistemas e recursos de TI disponíveis na empresa, integrando-se bem com os servidores físicos. Com ele, uma parte da carga de trabalho fica em Data Center local privado e outra migra para o virtual, utilizando os dois ambientes ao mesmo tempo.

Então, é possível que você use um pouco de cada espaço na medida em que precisar e for mais conveniente, ou vantajoso, para o negócio, e não é preciso mudar radicalmente para garantir maior estabilidade e performance nos serviços.

3- Uso de ferramentas facilitadas

“Migrar pode ser fácil, mesmo?”

Migrar pode ser mais fácil com automatização de algumas etapas (inclusive envolvendo a hospedagem do site na nuvem) – sem maiores custos – e o uso de tecnologia VMware, bastante utilizada em virtualização no mercado.

Os benefícios de uma plataforma assim contemplam um processo de migração muito simplificado. Ferramentas como o vCloud Connector, Offline Data Transfer e OVF Import over Internet/Direct Connect tornam mais fácil a transferência e conexão de dados na implementação híbrida.

E a plataforma VMware permite ampla flexibilidade: se decidir aumentar ou diminuir a qualquer momento sua chamada “máquina virtual”, acrescentando ou tirando servidores e recursos, o processo é simples e imediato, concluído em segundos.

4- Gerenciamento da nuvem híbrida

“E quem vai saber gerenciar meu Data Center híbrido?”

Ao fazer a migração para a nuvem híbrida, você vai precisar decidir como fará o gerenciamento dela. É aqui que entra um pouco da questão levantada pelo Gartner. Há empresas que possuem uma estrutura mais compatível ou favorável para encarar a realidade da nuvem híbrida de forma autônoma. Outras, por questões de tempo, estrutura e até mesmo expertise, nem tanto.

Mas isto não precisa ser um problema. Migrar sua empresa para a nuvem híbrida pode ensejar dois modos: contratação apenas da cloud e gerenciamento por conta própria por meio de ferramentas otimizadas e painéis de controle, ou deixando esta parte a cargo de seu provedor. Neste último caso, você terá à disposição uma equipe de profissionais certificados que poderá gerenciar e monitorar 24h seu sistema de Cloud Server.

5- Possibilidade de serviços adicionais

“Contratando uma nuvem híbrida terei tudo o que preciso?”

Por fim, ao migrar sua empresa (ou parte dela) para a nuvem, tenha em mente que é possível, ainda, contratar adicionais para seu novo Data Center Virtual, baseado em nuvem híbrida.

Em geral, os pacotes já vêm com bom suporte de backup, memória e assim por diante, mas é possível pedir bancos adicionais em SQL Server, espaço em disco, transferências a mais ou restores, por exemplo, e ainda contratar Cloud Backup.

A vantagem é, em comparação com outros serviços,  sempre ter uma previsibilidade de gastos e economia pela possibilidade de contratar, em cada fase, somente o que for útil para seu negócio.

Ainda que estes serviços não sejam contratados ou que o cloud adquirido seja gerenciado de fora, o sistema operacional escolhido (Windows ou Linux) pode ser instalado automaticamente, reduzindo tempo e complicações na ativação de seu cloud e colocando-o em uso rapidamente!

Conseguiu entender melhor como a migração para a nuvem híbrida pode ser mais fácil e segura do que você imagina?

Se você ficou com alguma dúvida ou tem curiosidade para saber mais sobre as soluções que disponibilizamos para a sua empresa, escreva pelos comentários ou entre em contato conosco.

Leia também