Como fazer com que pessoas muito ocupadas respondam seus emails

Postado em: 13 de novembro de 2015 - Por: Érika Bazilio

CEO da Apple, Tim Cook

CEO da Apple, Tim Cook

 

Evan Goldberg, roteirista e produtor americano de sucessos como “A Entrevista” e “Superbad”, disse se dar conta ao longo da carreira, que se quisesse se aproximar das pessoas que admirava, precisava antes de tudo passar confiança.

Hoje ele está em posição de vantagem para estabelecer a conexão profissional que quiser, já que tem um nome reconhecido no mercado. Mas ele lembrou como um desconhecido, agora trabalhando no “Funny or Die” – um canal de comédia na internet como o nosso “Porta dos Fundos” – o abordou no meio da rua e começaram uma conversa que se transformou em uma correspondência regular que acabou favorecendo a ambos.

 

As estratégias de três especialistas.

Uma das melhores maneiras de iniciar uma conversa com alguém que você admira – seja uma pessoa que faz parte do seu mercado de trabalho ou alguém com uma carreira interessante – é através de um email frio.

O Business Insider reuniu as dicas de três importantes profissionais sobre como elaborar emails de forma que as pessoas mais ocupadas respondam. As estratégias são de Tim Ferris, autor de “Trabalhe 4 Horas por Semana”, que ficou sete anos consecutivos na lista de best-sellers das principais publicações americanas; Jon Levy, especialista em comportamento humano, consultor e palestrante sobre Influência e Networking; e Ramit Sethi, autor do best-seller no New York Times, “I Will Teach You To Be Rich”.

 

Determine quem você quer alcançar.
Mire alto, mas seja realista.

Ferris sugere que em vez de tentar fazer contato com alguém que está na “crista da onda”, ´procure uma pessoa famosa, mas que no momento não é o centro das atenções. Provavelmente a caixa de entrada desse alvo – ou do assistente que cuida dos seus emails – estará menos inundada de pedidos.

Ele dá como exemplo um nadador competitivo à procura de conselhos. “Ele pode não ser capaz de chegar ao Michael Phelps, mas tem muito mais chances de fazer contato com um medalhista olímpico menos conhecido”.

 

Seduza o destinatário já no assunto.

Mais importante até que o conteúdo, é o assunto do email. Afinal, ele precisa se destacar entre as inúmeras mensagens da caixa postal. Se você tem referência de algum conhecido do seu destinatário – não perca a oportunidade –, mencione isso logo no assunto.

Levy gosta de assuntos na linha “pergunta rápida”. Isso sinaliza ao leitor que ele pode abrir o email e manter-se no caminho para uma caixa de entrada mais limpa, ao decidir rapidamente se vai responder ou não.

 

Crie uma mensagem clara e concisa.

Sethi diz que um bom formato é apresentar-se, dizer o que tem em comum com o destinatário, e, em seguida, fazer a pergunta. Se você vai fazer isso em uma linha ou um parágrafo curto, depende de para quem você escreve.

Você terá que escrever de forma que o destinatário dê uma olhada em sua mensagem e seja capaz de elaborar uma resposta adequada, mesmo que isso leve ao todo 30 segundos em seu smartphone.

Quando Levy envia uma mensagem para uma pessoa com grande demanda, como uma celebridade, ele coloca seu email abaixo em uma única frase, de forma que possa ser rapidamente copiado sem precisar selecionar e cortar nenhum elemento no texto.

Se ele envia emails a um executivo, que vai tomar decisões com base na informação disponível, procura limitar sua mensagem entre três e cinco frases, e incluir alguns links que o destinatário poderá clicar caso queira saber um pouco mais sobre ele e sua organização.

Sethi e Ferris dizem que é importante ser respeitoso com a dinâmica de poder entre você e seu destinatário. E não fazer seu destinatário se ressentir por ter uma agenda saturada, mostrando-se grato por uma resposta, mesmo que sejam poucas palavras.

 

Seja educado e não pareça um vendedor.

“Não tente convencer ninguém de qualquer coisa em uma mensagem”, diz Levy. “Não é assim, ‘Olha, eu acho que seria muito bom para você fazer isso por causa de x, y e z.’”

Ao contrário, é “‘Isso é o que eu faço… Eu acho que o que você está fazendo é fascinante, e eu gostaria de sentar com você e falar sobre o que você está fazendo.'”

Sethi diz que pode soar estranho e invasivo se você tentar marcar uma conversa como uma reunião de negócios, algo como eu vou te ajudar se você me ajudar também.

Certifique-se, no entanto, de deixar claro um próximo passo, como agendar uma conversa por telefone ou um café, ao qual ele possa responder.

 

Follow up.

Sethi diz que, se você tiver a sorte de conseguir interagir com essa pessoa, é essencial que se conecte a ela de maneira natural. Isso significa expressar genuíno apreço por seu tempo. E jamais a incomodar com emails inúteis apenas para manter contato.

Para o especialista em comportamento financeiro, ter um bom networking pode ser o diferencial entre os bem-sucedidos e os nem tanto. E que “os melhores US$ 100 que você pode gastar em um ano, é com um café com aqueles que poderão ajudá-lo a avançar em sua carreira”.

 


 

Quer saber mais como usar ao máximo todos os recursos da plataforma web e redigir textos matadores?

Confira o nosso post Como escrever para web em 10 dicas.

 

 

Leia também