4 dicas para reduzir custos com infraestrutura de TI

Postado em: 29 de julho de 2016 - Por: Infolink

reduzir_custo_ti

A questão de custos com a infraestrutura de TI tem preocupado constantemente os gestores de empresas, que precisam lidar com o árduo desafio de garantir uma operação que seja ágil, estável (para não comprometer o andamento dos trabalhos e causar prejuízos financeiros maiores), eficiente e, ao mesmo tempo, economicamente viável e vantajosa para o negócio.

Não saber como otimizar e reduzir custos com a TI é, portanto, motivo de grande angústia e problemas na maioria destes casos.

Em épocas de economia instável, se torna ainda mais necessário encontrar formas de aumentar a eficiência e a competitividade sem comprometer a qualidade, e otimizar os gastos é requisito indispensável para manter a saúde financeira da empresa, dando a ela, inclusive, condições para crescer.

Pesquisas apontam que, mesmo em meio à crise, investimentos em TI têm permanecido estáveis nos últimos tempos. E isso se dá, inevitavelmente, pelo fato de que a tecnologia é estritamente necessária para que a empresa consiga funcionar, ainda que represente – equivocadamente ou por falta e otimização e investimento nos recursos certos – o “vilão” das finanças.

Com isto, entende-se que frear investimentos em TI não é o caminho, mas, sim, reduzir custos com as medidas certas!

Frente à esta realidade, nosso post de hoje dará dicas sobre como reduzir custos em sua infraestrutura de TI de forma inteligente, provendo a ela os recursos tecnológicos de que precisa sem aumentar os gastos de forma desnecessária!

Acompanhe:

#1 Reveja e encontre as desvantagens da sua infra atual

Para começar a compreender em quais partes é possível reduzir custos em sua TI, é preciso, primeiro, identificar as demandas atuais e se a sua infraestrutura está dando conta ou, ainda, se está incompatível com as reais necessidades do negócio.

Às vezes, ela pode se tornar muito cara e ineficiente, não por falta de softwares bons (e que requerem licenças caras) ou máquinas modernas, mas sim por carência de um planejamento, estudo, utilização efetiva dos equipamentos e até mesmo de conhecimento de soluções mais eficazes e sob demanda.

O ideal é que tudo comece com o suporte de especialistas que consigam interpretar, junto a você, o panorama de sua empresa e se os recursos que ela tem estão ajustados. Em seguida, a migração para um serviço mais adequado, que possa ser proposto por esta análise, feita de forma orientada e até mesmo automatizada, facilitando a transição de tecnologia.

#2 Dê espaço para a Infraestrutura como Serviço (IaaS)

Em uma quantidade grande de casos, o modelo de Infraestrutura como Serviço (IaaS) pode ser mais vantajoso para sua empresa do que manter todo o aparato tecnológico físico, e é preciso analisar as vantagens junto a um fornecedor especializado.

Manter uma equipe própria para fazer toda a manutenção e atualização de sistemas, ou ainda perder meses com a escolha de fornecedores diversos, orçamentos e aprovações em caso de instalação de novas funcionalidades para o departamento de TI, por exemplo, pode representar gastos ou perda de faturamento por paralisação dos trabalhos.

Com um Data Center virtual, soluções integradas, que permitam a centralização de ações voltadas para TI e rapidez é possível economizar com infraestrutura e manutenção própria, além de poder alcançar até 60% a mais de performance do que com plataformas convencionais.

#3 Considere migrar operações para a nuvem

Análises recentes comprovam que a Cloud pode reduzir mais de 25% dos custos das empresas, além de aumentar a eficiência.

A hibridização de alguns ambientes confere à empresa flexibilidade suficiente para economizar e melhorar suas operações. O efeito é em cascata: com processos otimizados, a empresa consegue focar no negócio e poupar para aplicar esforços e capital em crescimento.

Principalmente em longo prazo, os investimentos na nuvem podem se mostrar muito mais vantajosos do que montar um data center físico maior ou comprar equipamentos que nem se tem certeza da futura utilização, pois existem grandes chances de que, lá na frente, o ambiente não atenda ao que a empresa vai precisar e aumentam as chances de perder dinheiro com recursos que serão inutilizados.

Já a nuvem é dinâmica e acompanha a evolução do mercado, além de ser totalmente escalável. Você aloca o espaço que precisa, na medida em que precisa. Softwares de gestão e de contabilidade, plataformas de RH, soluções de CRM e de vendas podem, muito bem, ser configuradas para operar em um ambiente integrado, o que permitirá melhor controle de todos os processos.

Outra vantagem da nuvem é o que chamamos de “adaptação elástica”: ela pode crescer ou diminuir de acordo com seu negócio, volume de dados e crescimento, uma vez que você vai pagar pela utilização, e pode ajustar suas necessidades com os serviços tomados, solicitando um upgrade com aumento imediato de suas capacidades.

#4 Pense sua TI para ser ágil e certeira

Com operação na nuvem, sua empresa consegue economizar com recursos extras para conectar equipes, já que o compartilhamento de dados, mesmo a distância, é facilitado e a mobilidade favorece o trabalho remoto, permitindo, inclusive, o aumento da demanda com qualidade.

Outro ponto a destacar é a possibilidade de reduzir custos com versões antigas de hardware ou softwares, cujas atualizações podem ser cobradas em contrato por parte dos fornecedores. Isso para não citar casos piores, em que a empresa acaba utilizando licenças não legais e depois têm de arcar com multas referentes à prática.

Em relação à infraestrutura convencional, os ganhos também são grandes: o modelo tradicional não possui backup íntegro para reinstalação rápida e, em geral, este processo é dificultado, apresentando problemas de lentidão e queda (paralisando logística, cobrança e setores administrativos, por exemplo). Em nosso case de sucesso relatando crescimento de 40% em IaaS, comentamos como o serviço de gerenciamento de Cloud Backup melhora esta situação e as formas de tornar o processo menos oneroso por meio da redução de despesas operacionais.

Além disto, a atualização de sistemas operacionais, procedimento que costuma parar a empresa em alguns casos, é feita de forma automática, não acarretando prejuízos na produtividade.

Como sua empresa tem conduzido as operações de TI para alcançar maior eficiência e redução de custos? Gostou de nossas dicas? Entre em contato e deixe nossos consultores trabalharem para você fazendo uma análise de redução de custos com cloud!

Leia também