Dia do Blog: 10 passos para se criar um blog

Postado em: 4 de setembro de 2014 - Por: Suéllem Nascimento

Dicas básicas na criação de um blog

 

Layout é importante e conteúdo é essencial, a gente sabe disso. Mas na hora de criar um blog você precisa um pouco mais. No terceiro (e último) post do Dia do Blog a gente entra na parte técnica para listar 10 passos básicos que você precisa seguir para ter um blog. Afinal, não basta ter um bom conteúdo e um design bonito, ele tem que funcionar bem também.

1 – Nome e url para o blog

O nome e a url precisam ser únicos e relacionados ao tema. Eles têm que ser escolhidos com cuidado e tem que ter a ver com o que você está falando para que o usuário faça uma associação rápida. Para ter uma url você precisa registrar um domínio (aquele endereço “meublog.com.br” que você compra e fica sendo o seu endereço na web). A personalização ajuda você a criar uma identidade ao blog e diferencia seu conteúdo dos demais.

2 – Escolha a plataforma ideal

Existem diversas plataformas no mercado, mas a mais utilizada é o WordPress, principalmente pelo poder de personalização. Dentro de um modelo de layout escolhido você pode personalizar praticamente tudo dentro com a inclusão de plugins.

Plugins são elementos prontos que você pode inserir numa página para executar determinada função. Existe plugin para praticamente tudo, desde otimização de imagens até coisas voltadas para SEO, evitando a necessidade de saber programação ou até mesmo HTML. Com a inclusão dos plugins certos, você tem um controle melhor do seu conteúdo e pode, futuramente, executar melhorias. Caso você escolha outras plataformas, como o Blogspot ou Tumblr, a inserção dessas facilidades deverão ser inclusas diretamente no template da página.

3 – Otimização de performance

Se você seguir a dica anterior você vai ficar com um pequeno problema de otimização nas mãos. Com a inclusão de muitos plugins, a página fica com o carregamento mais lento, o que prejudica a experiência do usuário. Por sorte também existe pluign pra isso! Instale o que você precisa instalar, mas otimize o template para que isso não atrapalhe a experiência do usuário. Se você optar pelo WordPress, você pode otimizar a performance do seu blog com o plugin WP-Optimize.

4 – Metrificação: como anda a popularidade do seu blog?

Depois do site ir ao ar, você precisa de uma ferramenta para metrificação de resultados. Para medir tráfego, origem das visitas e número de cliques, a ferramenta mais utilizada é o Google Analytics. Considere a implementação dele para que você possa gerar tais relatórios.

5 – Hospedagem no lugar certo

Você também vai precisar de um plano de hospedagem para colocar seu blog no ar profissionalmente.
A hospedagem é o serviço que “guarda” as informações do seu blog. Você instala a plataforma do seu blog e layout, textos e imagens ficam todos armazenados lá.

Os serviços de hospedagem têm pacotes com configurações específicas e a escolha de um vai depender da sua necessidade. A InfoLink, por exemplo, tem vários tipos de planos de hospedagem.
Uma dica extra: Na InfoLink também temos um instalador automático de aplicativos para facilitar o processo de implementação da plataforma, que costuma ser mais complexo se você opta por fazê-lo manualmente.

6 – Espaço em disco: de quanto você vai precisar?

O espaço em disco é fornecido pelo seu serviço de hospedagem e a escolha deve se basear no tamanho do seu blog e na quantidade de conteúdo que você tem. A regra é simples: se você for hospedar texto, o espaço em disco que você vai precisar será menor. Agora, se você for hospedar áudio e vídeo, aí você vai precisar de uma quantidade muito maior de espaço em disco. Se for o caso, cheque o com provedor do serviço a taxa de transferência também. Para áudio e vídeo esse é outro fator importante, já que vai influenciar diretamente da velocidade que o seu conteúdo será consumido.

7 – Previna-se: faça backup!

Sempre faça backup do seu material. Blogs são hackeados, servidores dão problema e plataformas param de funcionar do nada. Preferencialmente faça backup físico e na nuvem.

8 – SEO – Otimização para mecanismos de busca

Pense no seu blog no meio de tantos outros e em como ele pode se destacar nos mecanismos de busca. Se você pensou em SEO a resposta está correta. Você também pode instalar um plugin para o gerenciamento das tags, mas em geral você precisa dar atenção ao título da página (title), description (descrição da página), categorias internas e head tags. As heads são as tags que classificam o título e os subtítulos. O título é o H1 e, a partir dele, todos os subtítulos são H2. Se um subtítulo tiver um outro subtítulo, ele será o H3 e assim por diante. Pense nos mecanismos de busca, mas principalmente no usuário. O que faz mais sentido para ele? É isso que você precisa seguir.

9 – Cache: limpezas periódicas

Cache é uma área em que dados que são armazenados frequentemente são arquivados. No WordPress existem plugins para otimização e limpeza de cache. Um dos plugins de cache para otimizar o carregamento da página é o WP Super Cache

10 – Interface visual: prefira temas responsivos

Opte por temas limpos (como a gente já comentou no post com as dicas de design) e preferencialmente responsivos. Pense que o seu usuário pode chegar até o seu blog por um tablet, um desktop, um smartphone ou um feature phone. Não importa, você precisa apresentar seu conteúdo com a mesma qualidade, independente da plataforma.

Então, gostaram das dicas? Com todas as sugestões que foram dadas você vai garantir um conteúdo de qualidade, apresentado de forma bonita e que seja acessível e funcional. Se quiser mais algumas dicas de plugins você pode acessar a nossa wiki com mais dicas voltadas para o WordPress.

Veja também os dois primeiros posts da série: 10 dicas de conteúdo e 10 dicas de design.

Leia também